13.3 C
Alcanede
Domingo ,11 Abril, 2021
Entrevistas

André Mendes: Campeão Nacional de Matraquilhos

amendes

amendesAtento ao fenómeno dos matraquilhos na nossa freguesia, o Portal de Alcanede foi tentar perceber o que está por detrás desta realidade que, na nossa freguesia está ao rubro e que atrai praticamente todas as faixas etárias. No próximo dia 13 de Dezembro, o Café Central vai ser palco do 1º Torneio de Matraquilhos de Alcanede.

Nesta altura, são já muitos os que treinam e afinam técnicas numa mesa profissional, cedida pela Associação de Matraquilhos de Santarém. Para percebermos melhor este fenómeno, conversámos com André Mendes, ele é actualmente o Campeão Nacional de uma modalidade, que já possui (desde Fevereiro de 2007) uma Federação, a Federação Nacional de Matraquilhos. André Mendes é natural de Almada, tem 25 anos e marca em média 24 golos por jogo.

Portal Alcanede (PA) – André, muitos parabéns pela tua condição de Campeão Nacional de Matraquilhos.
Em primeiro lugar, gostaríamos de saber qual é, afinal a designação correcta? Matrecos ou Matraquilhos?

André Mendes – Ambas as designações são correctas, sendo que oficialmente, utiliza-se Matraquilhos. Podemos também acrescentar, “os bonecos”, expressão utilizada por jogadores de gerações mais antigas.

PA – Quando é que começou esta tua paixão pelos Matraquilhos?

André Mendes – Tinha 5 anos de idade quando comecei a jogar. Numa 1ª fase jogava numa pequena mesa de plástico que pertencia ao meu irmão, depois comecei a jogar em cafés/tascas em mesas de dimensões normais. Para isso, precisava de jogar em cima de grades de cerveja para conseguir ver o jogo. No entanto, devo dizer que tanto o meu pai, como o meu irmão, também jogam e foram eles que me pegaram este vício.

PA – E a sério? Como federado?

André Mendes – Desde 2007 que participo em Provas da FPM (Federação Nacional de Matraquilhos), entre elas:
1-  Prova disputada no Centro Comercial Dolce Vita no Porto (equipas) 2007;
2- Open Singles em Tavira (1º lugar) (individual) 2008;
3- Campeonato Nacional em V.N Famalicão (1º lugar) (individual) 2008;
4- Campeonato Nacional e Supertaça no Hotel Ipanema Park no Porto (individual) (1º lugar em ambas as provas) 2009;
Entrei em mais competições como federado, quer por equipas, quer individualmente, mas estas são as mais relevantes.

PA – Na tua idade, o mais habitual são os jovens procurarem o futebol, não só pelo seu imediatismo, mas também pelo eventual lucro que ele pode gerar. A tua opção, no entanto foram os Matraquilhos! Tens uma explicação ou não se explica?

André Mendes– Também joguei futebol durante muito tempo em várias equipas, cheguei a jogar no Almada A.C e na distrital de Portalegre. Mas no futebol, ou se é mesmo bom ou então esmiúça-se o factor C (cunha).
Os Matraquilhos permaneceram sempre, independentemente do desporto que eu praticava. No entanto, não sei…talvez se o meu pai e o meu irmão fossem jogadores de Golfe, eu estaria agora em Vilamoura no Algarve a ).Jbeber um Cocktail de frutas (

PA – Nos Matraquilhos, podemos falar de fintas ou de truques?

André Mendes – Ambas as designações são utilizadas, por vezes encontramos diferenças nos diversos termos, variando de região para região. No Norte, as expressões utilizadas diferem um pouco das nossas (Lisboa e Setúbal). Também se pode trocar esses termos por “bola” (Ex. “Essa é a tua melhor bola”).

PA – Quais são as tuas fintas, ou truques, preferidos?

André Mendes – A mijadinha e o martelo. A primeira é uma finta feita muito devagarinho e a segunda o oposto. Mas no meu caso particular, não tenho nenhuma bola específica, dependendo do jogo, altero as fintas e pratico um jogo imprevisível.

PA – Podemos saber qual é a tua actividade extra-Matraquilhos?

André Mendes – Sou Licenciado em Turismo, neste momento dou aulas de Inglês e estou a tentar fazer mais qualquer coisa ligado à minha área.

PA – Acreditas na profissionalização desta modalidade no nosso país?

André Mendes – Acredito, pois a FPM já deu um passo fulcral nesse contexto, que foi tornar-se membro oficial da ITSF (International Table Soccer Federation). Em Janeiro, Portugal irá participar no Campeonato do Mundo em Nantes através da selecção Nacional (da qual faço parte). O nosso grande problema até então, eram as diferenças entre as nossas mesas e as mesas homologadas pela ITSF, todavia os membros da FPM já adquiriram mesas Internacionais (as Roberto Kombat e as Roberto Adrenaline). Claro que a adaptação vai ser muito difícil, há grandes diferenças, principalmente o facto de os bonecos não serem de chumbo e das regras serem também distintas das nossas. Lá fora já há profissionais de Matraquilhos, mas creio que a médio/longo prazo, essa realidade poderá abraçar o nosso país, podemos é começar a esquecer os bonecos de chumbo…

PA – Em Alcanede a prática dos Matraquilhos sempre foi uma constante, no entanto, agora mais do que nunca os Alcanedenses, praticam a modalidade com grande entusiasmo. Gostavas de deixar aos nossos praticantes amadores uma mensagem especial?

André Mendes – Bom…talvez lhes diga para continuarem a jogar e a aperfeiçoar a técnica, pois “quem se deixa picar pelo bichinho dos Matraquilhos, já não se consegue curar”. Mas também posso referir que uma das coisas que os Matraquilhos têm de muito gratificante, é o convívio que proporciona aos praticantes.

PA – André, muito obrigado pela tua disponibilidade em falares ao Portal de Alcanede. Desejamos-te a continuação dos melhores sucessos, esperando que um dia possas visitar Alcanede para conheceres os nossos craques!

André Mendes – Muito obrigado, resta-me desejar boa sorte para este Portal e cumprimentos a todos os Matraquilheiros alcanedenses.

NOTA: No antigo site do Portal esta página foi lida 1969 vezes

Artigos Relacionados

Próximo “Ídolo” de Portugal pode ser de Alcanede

Paulo Coelho

André Caetano: “A população tem estado sempre presente”

Portal Alcanede

Manuel João Inácio: “Às vezes custa-me ouvir certas coisas”

Portal Alcanede