11.7 C
Alcanede
Quarta-feira ,21 Fevereiro, 2024
ReligiãoSociedade

Igreja Matriz de Alcanede pronta para receber os seus fiéis no dia 4 de fevereiro

A Igreja Matriz de Alcanede está pronta para receber os seus fiéis. O dia tão esperado está marcado para 4 de fevereiro de 2024, e contará com uma celebração especial presidida pelo Bispo da Diocese de Santarém, D. José Traquina, e concelebrada por vários sacerdotes.

Concluídas as obras, o Portal de Alcanede quis saber junto do Pe. António Vicente, o rosto mais visível em todo o processo de requalificação do templo e o seu primeiro impulsionador, o que lhe vai na alma a escassos dias da reabertura da igreja, “um sentimento de enorme gratidão, principalmente a Deus, mas naturalmente ao nosso povo!”, lembrando que “nem sempre foi fácil” e que ao longo do tempo foi acompanhado “por um sentimento de urgência. A Matriz tem uma grande centralidade na ação pastoral e cultural da paróquia, a falta desse espaço, trouxe dificuldades e uma sensação de “orfandade”. Coisas que gostaria de ter feito e ficaram adiadas…”, disse o pároco.

A necessidade de resgatar a identidade paroquial é fundamental, “sobretudo na igreja matriz, um espaço de acolhimento e de pertença. É fundamental voltar a “Casa”, depois do deserto da pandemia e da demandada de algumas pessoas das igrejas, é preciso chamar, convocar, convidar. E isso é tarefa de todos e onde cada um entenda que faz falta!”, salientou.

Durante todo o período em que decorreram as obras, o Pe. Vicente destaca “a enorme compreensão da parte das pessoas e confiança. Aliás, sou testemunha da grande empatia das pessoas para comigo e não me são indiferentes a gentileza e a generosidade”, afirmou. Ao mesmo tempo, o sacerdote refere que ele é “apenas um instrumento” e que “o grande protagonista neste processo é o POVO de Deus”, não esquecendo “um conjunto de pessoas muito válidas que deram o “corpo ao manifesto”, especialmente o Conselho Económico, ou se quiserem, a Comissão de Obras (lembro com carinho e grata memória, o senhor César Martins). A todos agradeço imenso!”, enalteceu.

Os agradecimentos são inúmeros, “agradeço também à Santa Casa da Misericórdia de Alcanede, pelo uso permanente e prolongado da capela e a ajuda que significou para a paróquia”, bem como à “Irmandade de Nossa Senhora da Purificação, sobretudo na campanha “Eu Sou Matriz”, que foram essenciais para a dinâmica e sucesso desta iniciativa”, disse.

O Pe. Vicente lembrou também que, “como paróquia temos vivido momentos muitos marcantes e significativos” e que nem sequer a pandemia os conseguiu parar, “com as pessoas sempre de coração aberto e generoso! Não esquecerei mais na minha vida a campanha “Eu Sou Matriz”, que em boa hora e por graça de Deus aconteceu antes da pandemia, exceto em Alcanede, mas que recentemente completou e em grande”, exaltou.

A emoção toma conta do sacerdote que está à frente dos destinos da paróquia de Alcanede desde 2015 quando se recorda “da dinâmica, da alegria, da vontade, da determinação, da festa de estarmos juntos por uma causa… fomos união e fraternidade! Ainda agora emociono-me, ao pensar no que foi feito com todos: associações, comissões de culto, instituições, empresas, baldios, grupos, gente no anonimato…. Vai ser difícil agradecer a tantos!… Só Deus pode recompensar!”, disse ao Portal de Alcanede.

A importância das escavações arqueológicas e o espaço museológico

Durante as obras de requalificação da Igreja Matriz de Alcanede foi necessário recorrer a escavações arqueológicas, o que, segundo o Pe. Vicente, possibilita um maior “conhecimento que hoje temos de nós mesmos, como povo deste território” e, embora tenha tido “enorme custo económico”, trouxe em simultâneo “um maior conhecimento da nossa história e com imenso potencial de investigação, sobretudo através do espólio encontrado. Tomara que algum dos nossos jovens queira fazer um trabalho de estudo na sua faculdade”, desafiou.

Os achados arqueológicos vão dar origem à criação de um espaço museológico “para guardar o espólio encontrado nas escavações, já temos sala reservada e dentro da Igreja, falta agora todo o trabalho de identificar e catalogar as peças, assim como, criar condições para expô-las. É uma questão de tempo, apenas”, disse o sacerdote.

Tudo o que diz respeito ao edifício em si e ao seu interior está finalizado, apenas ficam a faltar terminar os trabalhos do adro da Matriz, “esperamos a requalificação da zona envolvente pela autarquia, para então integrar e renovar o espaço de acordo com o previsto para o espaço público”. Segundo o Pe. Vicente, “o que está conversado é fazer uma praceta em frente ao adro, os muros da frente serão derrubados e tornar o espaço mais aberto e de maior acessibilidade”, explicou.

Abertura da Igreja Matriz dia 4 de fevereiro e celebração do dia de Nª. Sª. Da Purificação

A cerimónia de reabertura da Igreja à população está marcada para dia 4 de fevereiro de 2024, mas antes, no dia 2 de fevereiro, dia de Nossa Senhora da Purificação, haverá uma celebração dedicada à padroeira da paróquia e freguesia de Alcanede, com missa pelas 21 horas, “com a tradicional bênção das velas e apresentação das novas “irmãs” da respetiva Irmandade de Nossa Senhora da Purificação” e, este ano, “pela primeira vez, a apresentação da Irmandade Juvenil”.

Para o tão esperado dia 4 de fevereiro, são vários os momentos a destacar. Pelas 11h30, será feita a concentração na Capela da Misericórdia de Alcanede “e procissão até à igreja paroquial”. A missa será presidida pelo Bispo da Diocese de Santarém, D. José Traquina, “e concelebrada por vários sacerdotes”. A celebração será animada por alguns elementos das Bandas Filarmónicas de Alcanede e do Xartinho, “com o coro paroquial e das crianças; aliás, a missa está a ser preparada para ter uma grande intervenção das crianças e jovens”, revelou o Pe. António Vicente.

Após a celebração, “todos serão convidados para um almoço partilhado” no Quartel dos Bombeiros Voluntários de Alcanede, “onde cada um poderá fazer chegar o seu farnel a partir das 10 horas”. A animação durante a tarde estará assegurada pelo Rancho Folclórico de Viegas e pela Fanfarra dos Bombeiros de Alcanede.

Em baixo, veja a nossa fotogaleria com alguns dos momentos da evolução das obras.

Artigos Relacionados

O voto que pode ajudar a salvar as vidas dos nossos bombeiros

Paulo Coelho

Movimento Cívico ER 361 desafia forças políticas de Santarém e Alcanena a participarem em nova ação marcada para 17 de Setembro

Carlos Coelho

Covid-19: Concelho de Santarém regista mais uma morte e casos positivos sobem agora para 181

Portal Alcanede