20 C
Alcanede
Quarta-feira ,24 Abril, 2024
Saúde

Centro de Saúde de Alcanede sem médicos preocupações chegam ao Ministro da Saúde

O caos está instalado no Centro de Saúde de Alcanede com rumores da demissão da médica Rute Lopes, uma informação que o Portal de Alcanede (PA) está a tentar apurar junto do ACES Lezíria. A confirmar-se a demissão, não resta qualquer clinico para o atendimento aos utentes, tendo em conta que dois dos médicos que prestavam serviço naquela unidade de saúde não estão no ativo, um por motivo de doença e outro a braços com a justiça.

A médica que chegou a acumular o cargo de coordenadora do Polo de Alcanede deu em julho último sinais de insatisfação, quando alegou falta de recursos para o exercício do cargo, acabando por ser substituída a 9 de julho, pelo médico João Grilate, atual coordenador. A gota de água que fez transbordar a paciência da médica, aconteceu na semana passada quando terá alegadamente sido vítima de vários maus tratos verbais por parte de alguns utentes.

O tema do Centro de Saúde acabou por ser discutido no passado dia 30 de setembro na assembleia de freguesia, tendo os seus representantes manifestado as maiores preocupações com o evoluir dos acontecimentos, perante este quadro, a presidente de junta de Alcanede, Cristina Neves, manifestou junto da diretora do ACES a esperança de uma resolução rápida dos problemas que afetam o Centro de Saúde, “escusado será expor a gravidade de toda esta situação, caso esse tormento se concretize, porque para além da Drª Rute Lopes ser uma profissional dedicada e verdadeiramente vocacionada para a medicina da família, é ainda revestida de um grande sentido de comunidade, solidariedade e humildade que em muito tem dignificado a sua profissão e a imagem dos médicos em geral nesta zona norte do concelho”, refere, Cristina Neves, na exposição enviada à diretora do ACES Leziria, Diana Santos Leiria.

O executivo da Junta de Freguesia de Alcanede, recorreu também aos deputados do PSD eleitos pelo distrito de Santarém, reforçando ainda as suas preocupações, numa missiva enviada ao Ministro da Saúde, Paulo Macedo. No documento a que o Portal de Alcanede teve acesso, o executivo sugere” a colocação de forma urgente e efetiva de profissionais de saúde em regime mobilidade ou com recurso à contratação por ajuste com empresas da especialidade, ou ainda com recurso à contratação de profissionais estrangeiros como recentemente aconteceu neste ACES”.

Na carta enviada ao Ministro da Saúde, a presidente da junta de freguesia de Alcanede demonstrou vontade de encetar esforços no sentido de entendimento com os autarcas de freguesias vizinhas, tendo em vista a possível criação de uma USF, “a proximidade e o entendimento de 4 freguesias vizinhas irá somar cerca de 7300 utentes para tentar a criação desta USF, mas esse será o próximo passo para o qual teremos de unir esforços. A unidade reúne condições físicas e administrativas para avançar para uma USF, estando apenas em falta os recursos médicos, já que conhecemos enfermeiros disponíveis para esta integração” defende a autarca.

A presidente de Junta de Freguesia em declarações ao Portal de Alcanede, disse temer que caso o cenário de falta de médicos e mau funcionamento do CSA não se altere, “é provável que outras formas de luta popular comecem entretanto a surgir, e naturalmente a JFA estará ao lado das suas populações nestas reivindicações que há muitos anos assolam esta região” lamenta.

NOTÍCIAS RELACIONADAS:

Rute Lopes demitiu-se da coordenação do Centro de Saúde de Alcanede


Utentes do Centro de Saúde de Alcanede manifestam apoio à coordenadora demissionária

Artigos Relacionados

USF Foral Novo de Alcanede já é uma realidade

Carlos Coelho

Conheça as novas regras do confinamento obrigatório a partir de 15 de janeiro 2021

Portal Alcanede

Vídeo – Utentes do Centro de Saúde de Alcanede protestam contra a falta de médicos

Carlos Coelho