13 C
Alcanede
Terça-feira ,7 Dezembro, 2021
Entrevistas

Conceição Gaspar: ” População está envelhecida e amargurada”

cgaspar1

cgaspar1Entrevista a Conceição Cigalho Gaspar – Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Alcanede.

Portal Alcanede (P A) – Como é que caracteriza a população mais idosa da Freguesia de Alcanede?

Conceição Gaspar –  A população mais idosa de Alcanede revela-se não só bastante envelhecida, mas também muito triste na vivência do seu dia a dia.

P A – Estamos perante uma população bastante envelhecida, é isso?

Conceição Gaspar – Sim, sem dúvida. Envelhecida e bastante amargurada, envolta por uma compacta neblina de solidão.

P A – Há casos que inspiram alguns cuidados em especial, devido a uma ou outra situação mais delicada, até sob o ponto de vista económico?

Conceição Gaspar – Há muitos casos que inspiram bastantes cuidados a nível económico e social, aos quais devemos acrescentar alguma rejeição ou abandono dos familiares.

P A – Até à data a Santa Casa tem estado a prestar serviços de apoio domiciliário e centro de dia como tem sido lidar com estas experiências?

Conceição Gaspar – Não tem sido fácil. Todavia, não podemos esquecer que a Santa Casa existe para servir. E, quando esta direcção assumiu as suas funções, propôs aos irmãos esforçar-se por dar aos nossos idosos o melhor apoio possível na prestação de serviços próprios das valências (Centro de dia e Apoio domiciliário). É uma luta constante e diária muito gratificante, porque sem rendimentos, com toda a humildade, muito amor e muito carinho, temos conseguido proporcionar aos nossos irmãos mais idosos, tristes pela doença ou solidão, incompreensão ou até afastamento da família, momentos de esperança, sorrisos e até de felicidade. Choramos e rimos com eles, acompanhamo-los no percurso sinuoso desta vida terrena. Darmo-nos pelo próximo, é experimentar algo, quase transcendente, que nos torna muito felizes ao sentirmos o nosso irmão também feliz.

P A – Por exemplo em termos de apoio domiciliário, como é dado esse apoio?

Conceição Gaspar – O apoio domiciliário é como o próprio nome indica, apoiar o idoso na sua própria casa. Todos os dias se deslocam equipas de 2 ou 3 ajudantes familiares, com formação própria para dar apoio aos idosos. Fazem a higiene pessoal, higiene habitacional, trazem a roupa suja para a lavandaria e levam-na depois de cuidada. Aos idosos acamados, por vezes, são prestados serviços 2 vezes ao dia e, como é óbvio, é distribuída a refeição.

P A – Nestas duas valências estamos a falar de um universo de quantos idosos?

Conceição Gaspar – Pelas duas valências estão abrangidos cerca de 60 idosos.

P A – Isso significa que é necessária uma estrutura já com alguma dimensão não só do ponto de vista de pessoal mas também logístico?

Conceição Gaspar – Sim, tudo tem que ser pensado ao pormenor e estruturado com muito cuidado a nível do pessoal e logístico. Temos três equipas em apoio domiciliário a nível de higiene e uma na distribuição de refeições, que se deslocam em viaturas próprias da Instituição.

P A – Com a construção do Lar de S. João o que é que em concreto vai mudar ?

Conceição Gaspar – Pouco irá mudar, mas muito se irá ampliar. E podemos começar pelo maior apoio aos idosos que carecem de cuidados diários e permanentes, aos quais, por diversos motivos, as famílias não reúnem condições para os poder satisfazer. A Santa Casa vai ter que recrutar mais pessoal, logo criar-se-ão mais postos de trabalho.
Temos a certeza que o nosso bem-servir irá contribuir para o essencial, ser presença dia e noite, junto dos idosos, procurando aliviar-lhes um pouco o sofrimento, a solidão, para que o corpo e o espírito encontrem neste novo lar, todo o apoio de que carecem.

P A – Como é que se chegou a esta localização, que vontades foram necessárias para tornar isto uma realidade?

Conceição Gaspar – A quando da tomada de posse esta direcção tinha projectos ; apresentou-os aos irmãos e comprometeu-se a executá-los.
Para criar melhores condições aos utentes da Santa Casa, necessário se tornava adquirir um espaço, onde se pudesse implantar um novo Centro de dia, com melhores condições e construir o Lar. Quando soubemos que o restaurante S. João estava à venda, apesar da nossa incapacidade financeira (uma mão cheia de nada), partimos com muito amor para a esperança da concretização dos nossos projectos. Comprámos o restaurante e terreno anexo com cerca de 4.000 m2. e foi neste espaço, o único que a Santa Casa tem e que reunia todas as condições exigidas, que decidimos construir o Lar ; equipamento necessário, que contribuirá para o engrandecimento local e bem-estar dos idosos, dado que está inserido na comunidade urbana da vila, para o qual mandámos fazer os projectos de arquitectura. O restaurante foi adaptado e ampliado para o Centro de Dia e lavandaria.

Para que esta remodelação fosse possível, contribuiu a aprovação da candidatura ao projecto da “Luta contra a Pobreza”, o construtor muito amigo, Sr.João Branco, a colaboração de alguns industriais com o fornecimento de materiais e ofertas da comunidade. Quanto à aquisição do restaurante e terreno, recorremos a crédito bancário.
Quando surgiu o programa “Pares” candidatámo-nos. Foi aprovado. Estabelecemos parcerias com a n/ Câmara Municipal, Junta de Freguesia e Industriais locais. Como as verbas reunidas não chegavam, partimos para o peditório a muitos outros industriais conhecidos de outras freguesias, de outros concelhos limítrofes, até à Batalha.
E foi graças à boa vontade de todos os amigos colaboradores aos quais estamos muito muito gratos, que foi possível tornar este projecto uma realidade.
A todos o meu bem-haja em misericórdia.

P A – Portanto estamos a falar de um investimento elevado?

Conceição Gaspar – Sim. O investimento ronda os 870.000,00 € ; para além da edificação já anteriormente feita, nomeadamente: cozinhas, lavandaria, armazém e outros.

P A – Quando é que se prevê a inauguração do Lar?

Conceição Gaspar – A inauguração está prevista para o início do próximo ano.

P A – Imagino que já há uma lista de espera considerável?

Conceição Gaspar – Desde o início da construção que estamos a aceitar inscrições. A lista de espera já é considerável.

P A – Que critérios vão pesar em termos do acolhimento dos idosos?

Conceição Gaspar – Como é óbvio, a Santa Casa da Misericórdia de Alcanede tem como elementos pilares, a sua irmandade. Logo, em igualdade de circunstâncias ou de carências, os irmãos terão prioridade. De seguida serão acolhidos os idosos mais carenciados.

P A – Confesso que não conheço no essencial todo o projecto, ainda assim o que é que está previsto em termos de espaços verdes?

Conceição Gaspar – Em termos de arquitectura e construção, permite-me informar que, fomos muito ambiciosos, o que nos mereceu, por parte de quem comanda, o elogio de que este Lar é um dos melhor concebidos a nível de espaços internos. Irá ficar com um jardim, árvores, um espaço exterior aliciante para os idosos.

P A – Muito obrigado e felicidades para o vosso trabalho.

Conceição Gaspar – Eu é que agradeço a amabilidade que tiveram em me contactar. Espero que esta entrevista vá contribuir para o enriquecimento do ” Portal Alcanede” e transmita à comunidade um conhecimento mais evidente desta realidade, cujos apoios irão proporcionar aos nossos utentes, a vivência do seu dia a dia, com mais dignidade, mais esperança e menos solidão.
Obrigada.

NOTA: No antigo site do Portal esta página foi lida 883 vezes

Artigos Relacionados

A Alcanedense Bruna Bento Silva integra o projecto “Liga-te à Arte”

Portal Alcanede

António Valente: “Um corpo de bombeiros voluntários nunca está sem comando”

Portal Alcanede

Serra do Saber – Centro de Estudos e Formação Profissional

Portal Alcanede