10.2 C
Alcanede
Segunda-feira ,12 Abril, 2021
Ambiente

Vale da Trave – Inauguração do ponto de água da Cova dos Coelhos

O Dia Mundial da Vida Selvagem foi assinalado na passada terça-feira, dia 3 de março de 2020, no Parque Natural das Serras d’Aire e Candeeiros (PNSAC), na área dos baldios da assembleia de compartes do Vale da Trave, Casal de Além, Covão dos Porcos e Vale de Mar, freguesia de Alcanede, concelho de Santarém, com a inauguração do ponto de água da Cova dos Coelhos, uma lagoa artificial com 1.367,42 m3 de água de volume e profundidade máxima de 2 metros.

Esta lagoa tem por principal objetivo o apoio à fauna do parque natural, não obstante as outras valências que tem para o apoio ao combate dos fogos rurais e apoio à pastorícia. Para esse efeito, este projeto possui caraterísticas específicas de adaptação para utilização da fauna, com rampas que funcionam como escapatórias, em caso de queda dos animais, sendo que também a intervenção agora realizada permitiu criar uma lagoa secundária para a “chafurda” dos javalis, vedando-lhes o acesso à lagoa principal para prevenir estragos por feitos por estes animais na tela impermeabilizadora.



Este ponto de água situa-se num planalto, onde a disponibilidade hídrica à superfície é mínima, revelando-se, um verdadeiro “oásis” para a vida selvagem existente nesta área protegida, disse à agência Lusa Luís Ferreira. A água enquanto elemento vital para a vida é extremamente relevante para a fauna e para as atividades humanas, pelo que construir pontos de água nestas condições é um contributo muito relevante para a Conservação da Natureza.

O ponto de água da Cova dos Coelhos foi construído a partir da recuperação de uma pedreira de calçada, inserido num projeto de requalificação de áreas degradadas pela atividade extrativa levado a cabo pelo PNSAC, entre 1996 e 2004. Com a deterioração dos materiais, associado a atos de vandalismo e danos provocados pelo javali, degradou-se este ponto de água comprometendo-se irremediavelmente a sua função.

A recuperação deste ponto de água foi realizado pelo Conselho Diretivo do Baldio do Vale da Trave, em parceria com a LUSICAL e o ICNF/PNSAC, onde esta empresa surge como mecenas, num investimento que rondou os 40.000 euros, e o ICNF/PNSAC, que concebeu e acompanhou tecnicamente a concretização do projeto.



Este projeto constitui um exemplo demonstrativo da conjugação de sinergias em prol da Conservação da Natureza, em que a Lusical, empresa do grupo Lhoist, se assume parceira no âmbito das suas responsabilidades ambiental e social, o Conselho Diretivo do Baldio do Vale da Trave o compromisso de levar a cabo a gestão dos terrenos comunitários compatível com Conservação da Natureza e o ICNF/PNSAC que vê concretizada um ação que se enquadra na persecução da sua missão de salvaguarda da Conservação da Natureza e da biodiversidade desta Área Protegida.

Luís Ferreira disse à Lusa ter sido surpreendido pela adesão à cerimónia de inauguração do ponto de água da passada terça-feira, com a inscrição de 58 pessoas, em representação das entidades envolvidas na parceria, mas também representantes de empresas e de associações do setor das pedreiras e de caçadores, corporações de bombeiros, juntas de freguesia da e câmara municipal, numa demonstração de apoio a esta pareceria inédita, deixando uma mensagem forte de que “todos estão envolvidos no processo de preservar a vida selvagem”.

O programa do evento teve início no Vale da Trave, com a receção dos participantes e onde foi feita uma apresentação dos baldios do Vale da Trave, por Luís ferreira.

Seguiu-se o transporte dos participantes para a Cova dos Coelhos, em autocarro.

No local, a Dr.ª Maria de Jesus Fernandes, Diretora do Departamento Regional de Conservação da Natureza e Biodiversidade do ICNF, falou aos participantes do dia Mundial da Vida Selvagem no contexto daquele local. “Enalteceu a parceria deste projeto e felicitou os técnicos que acompanharam a sua concretização pelo trabalho desenvolvido”.

Tomou a palavra o Eng.º Rogério Cruz, representante da Lusical, que no âmbito das suas responsabilidades ambiental e social, disse que “este é o tipo de projetos que se enquadram nos princípios da empresa e do grupo Lhoist, em que pretendem contribuir para a melhoria da qualidade de vida, social e ambiental, na região onde se inserem as suas unidades industriais”.

Seguiu-se Clarisse Batista Louro, presidente do Conselho Diretivo do Baldio do Vale da Trave, agradeceu individualmente aos paceiros desta iniciativa e a todos os participantes presentes, salientando que tem a noção de que “este evento constitui um marco do princípio de um caminho que compromete a gestão dos terrenos comunitários com a responsabilidade da Conservação da Natureza, caminho que diz de bom agrado percorrer, em nome do legado que que se pretende deixar para as gerações futuras”. Terminando dizendo que o conselho diretivo está aberto e disponível para analisar a participação em outras iniciativas do género. Convidando depois os representantes da parceria para o descerramento da bandeira nacional que cobria um painel informativo sobre o projeto do ponto de água da Cova dos Coelhos.



No final, foi servido um almoço aos participantes no refeitório da Lusical, precedido de uma apresentação da empresa por parte do Eng.º Rogério Cruz.

Para além dos promotores desta parceria estiveram presentes no evento representantes: da Câmara Municipal de Santarém, da Junta de Freguesia de Alcanede, da União de freguesias de Arrimal e Mendiga, da Junta de Freguesia de São Bento, dos Bombeiros voluntários de Alcanede (Direção e Comando), dos Bombeiros voluntários de Porto de Mós, do Conselho Diretivo dos Baldios de Valverde, Pé da Pedreira, Barreirinhas e Murteira, da Associação ASSIMAGRA, da Associação de Exploradores de Calçada Portuguesa, da empresa Solancis, da empresa Grupo Frazão, da empresa Fravizel, da empresa Pedramoca, da Associação de Caçadores de Alcanede, da Associação de Caçadores da Serra do Alecrim (Valverde), do Centro Cultural e Recreativo do Vale da Trave e o Prof. Júlio Ricardo, pessoa dedicada à economia solidária e Baldios.

O Conselho Diretivo do Baldio do Vale da Trave gere cerca de 600 hectares de terrenos baldios, constituindo as pedreiras aí instaladas uma das fontes de rendimento que a assembleia de compartes canaliza para a gestão dos terrenos comunitários e requalificação dos lugares que a compõem, de forma a criar melhorias nas condições de vida aos seus residentes.

O Dia Mundial da Vida Selvagem das Nações Unidas assinala-se em três de março para celebrar a diversidade de animais e plantas selvagens do planeta, sendo “ocasião para refletir sobre a infinidade de benefícios que estas espécies nos proporcionam, e contribuir para a diminuição das ameaças que enfrentam”.

Artigos Relacionados

Covid-19 obriga ao cancelamento da IV Rota do Castelo (Pikada’s Team) e ao adiamento do aniversário do GM Doidos por Elas

Portal Alcanede

Caminhada ao Pôr do Sol na lagoa Cova dos Coelhos

Portal Alcanede

Por Luís Ferreira: O declínio da biodiversidade na freguesia de Alcanede e o livro “Uma Vida no Nosso Planeta” – de David Attenborough

Portal Alcanede