13 C
Alcanede
Terça-feira ,7 Dezembro, 2021
Sociedade

Plano de emergência alimentar garante refeições gratuitas para carenciados da região

A Santa Casa da Misericórdia de Alcanede e o Centro Social da Serra do Alecrim vão passar a fornecer, cada uma das instituições, 18 refeições por dia a pessoas mais carenciadas, 7 dias por semana. A possibilidade surgiu por via de um protocolo assinado esta semana, entre varias entidades ligadas à solidariedade social e a segurança social, que pagará às instituições 2,5 euros por refeição.

O projeto foi assumido no concelho de Santarém por cinco entidades gestoras – Misericórdia de Santarém, Centro de Bem Estar Social de Vale de Figueira, Associação para o Desenvolvimento Social e Comunitário de Santarém, Centro Social Interparoquial de Santarém e APPACDM de Santarém – que já têm experiência nessa área e ficaram com a responsabilidade de fornecer cada uma 65 refeições por dia.

No entanto, o Conselho Local de Ação Social de Santarém propôs alargar a malha a outras instituições, a quem foi sub-delegada a competência de confeção e distribuição de refeições. Assim, o Centro de Bem Estar Social de Vale de Figueira delegou 14 refeições na Misericórdia de Pernes, 4 na Casa do Povo do Pombalinho, 15 no Centro Social Nossa Senhora da Luz (Póvoa de Santarém) e 10 no Centro Social Santa Marta (Alcanhões).

A Associação para o Desenvolvimento Social e Comunitário de Santarém delegou 18 refeições na Misericórdia de Alcanede, 18 no Centro Social da Serra do Alecrim e 11 na Associação de Solidariedade Social de Amiais de Baixo.

Já a APPACDM delegou 20 refeições no Centro Educativo da Fonte Boa, 5 no Centro de Apoio à Família de Abitureiras e 10 no Centro Social da Moçarria. A Misericórdia de Santarém e o Centro Social Interparoquial de Santarém assumem a confeção das 65 refeições que lhe foram distribuídas.

Com este passo a maior parte das freguesias do concelho passa a estar abrangida pelo programa que está a ser dinamizado em vários municípios da região e que tem carácter transitório. A rede de cantinas sociais visa permitir garantir às pessoas ou famílias que mais necessitam o acesso a refeições diárias gratuitas ou tendencialmente gratuitas, cujo número, dada a sua duração anual e natureza transitória, será definido de acordo com as características específicas do equipamento social que a vai implementar.

Fonte: O Mirante
 

Artigos Relacionados

CEARQ 2012 – Alcanede na rota da primeira conferência europeia de arquitetura

Paulo Coelho

População de Barreirinhas, Murteira e Pé da Pedreira sem telecomunicações por causa do roubo de fio de cobre

Carlos Coelho

Incêndio de grandes proporções em Mata do Rei mobiliza mais de uma centena e meia de bombeiros

Portal Alcanede