15.9 C
Alcanede
Quarta-feira ,14 Abril, 2021
Política

PAEL leva PSD de Santarém a acusar o PS de ter duas caras e duas medidas

A recente aprovação, pelo Tribunal de Contas, do Programa de Apoio à Economia Local (PAEL) e Programa de Saneamento Financeiro da CMS, levou esta semana o Partido Social Democrata de Santarém a emitir um comunicado, onde acusa o Partido Socialista de ter “duas caras e duas medidas”.
A Comissão Politica de Secção do PSD de Santarém começa por congratular “todos os que se dedicaram para que a aprovação do PAEL fosse uma realidade”, salientando a postura “de todos os fornecedores, associações e juntas de Freguesia”, que nos últimos tempos “souberam compreender a situação e mantiveram a confiança na Autarquia e na solução proposta pelo Executivo PSD”, agora aprovada pelo Tribunal de Contas.

A estrutura política liderada por Nuno Serra, também deputado na Assembleia da Republica, refere que, “foi clara em todo este processo a preocupação do Executivo PSD em pagar as dívidas da Autarquia e sanear financeiramente o Município”, acusando logo de seguida os socialistas, “ao contrário do que aconteceu até 2005, durante a gestão socialista, em que a atual candidata do PS participou, e cuja pouca vontade em resolver os problemas financeiros no seu devido tempo obrigou a que os problemas se acumulassem e fossem sendo empurrados para a frente, ficando o PSD com a difícil tarefa de resolver aquilo que, em Santarém, o PS não tratou ao longo de 30 anos”, lê-se no comunicado enviado ao Portal de Alcanede.

O PSD de Santarém faz questão de recuar no tempo, para invocar o anterior autarca socialista, “não nos esquecemos das palavras esclarecedoras do Engº Rui Barreiro, em 2001, em que afirmava a falência do Município. No entanto, passados 4 anos de gestão socialista, que contaram com a ativa participação da atual candidata do PS à Câmara Municipal de Santarém, o município apresentou um aumento da dívida superior a 50%”, referem os sociais-democratas.

Tendo como principal alvo a atual candidata do PS à Câmara Municipal de Santarém, Idália Serrão, a Comissão Politica de Secção do PSD afirma que “o Partido Socialista tem duas caras e duas medidas”, referindo que “o PS diz que apoia o pedido do PAEL para Santarém, mas depois crítica os custos associados”, além de que, segundo o mesmo texto, “o PS critica os juros que a Autarquia tem de pagar pelo PAEL, mas depois descarta a sua responsabilidade nas dificuldades que os portugueses estão a passar devido ao pedido de resgate externo de 78 mil milhões de euros, para Portugal pagar as dívidas da gestão ruinosa que o PS fez no nosso País desde 2005, e que contou com a participação da atual candidata do PS enquanto Secretária de Estado”, diz o PSD de Santarém.

O rol de críticas leva também o partido laranja a dizer que, “o PS diz que o valor do PAEL para Santarém só paga uma parte das dívidas, mas sempre criticou a escolha do Executivo PSD pela opção 1, que era aquela que pagava mais dívida e incluía um maior número de fornecedores; Por um lado, diz que o PAEL demorou muito tempo a ser aprovado para Santarém, mas esquece-se de dizer quantas autarquias têm já o financiamento aprovado, quantos municípios vizinhos de Santarém, de gestão Socialista, foram já contempladas com a aprovação do Programa”, refere o texto.

O PSD de Santarém finaliza o comunicado, afirmando que para os sociais-democratas “só há um caminho, é honrar os nossos compromissos e continuar a cuidar de Santarém”, citámos.

Artigos Relacionados

Alcanedense Jorge Rodrigues eleito vereador na Câmara Municipal de Santarém pelo PSD

Paulo Coelho

Ricardo Gonçalves (PSD) foi reeleito presidente da Câmara Municipal de Santarém com maioria absoluta

Carlos Coelho

Posto da GNR em Alcanede – Ministério é evasivo à pergunta dos deputados do CDS-PP sobre a criação de um posto na vila

Paulo Coelho