20.8 C
Alcanede
Segunda-feira ,24 Junho, 2019
Sociedade

Movimento Pró Passeio Pedonal de Valverde “são todos muito simpáticos mas não resolvem nada”

A Comissão Política Concelhia de Santarém do CDS-PP, liderada por Hugo Ribeiro, reuniu no passado dia 26 de Julho em Valverde, freguesia de Alcanede, com o Movimento Pró Passeio Pedonal.

movimento pedonal 02
De acordo com um comunicado enviado para a redação do Portal de Alcanede, o encontro teve como principal objetivo conhecer as motivações “de um grupo de cidadãos da Freguesia de Alcanede e a sua enorme vontade em avançar com a realização de um passeio pedonal ao longo de cerca de 2,4 km na zona de Valverde na Estrada Nacional 362”.

A área que se pretende intervencionar “visa acima de tudo dar segurança e espaço para circularem os habitantes da freguesia, num troço onde circulam em média 400 veículos pesados por dia”, refere Hugo Ribeiro.

O responsável pela estrutura Concelhia de Santarém do CDS-PP, sublinha a vontade de acompanhar o processo deixando em aberto a possibilidade de realização de uma sessão pública com a finalidade de “elucidar a população sobre o que está em jogo com a importância desta obra. Esperamos que mais uma vez a vontade deste movimento não esbarre na burocracia, mas que consiga congregar a boa vontade de todas as partes”, disse.

movimento pedonalO Movimento para já organizado informalmente tem como principal rosto, Dário Antunes, mas está a crescer, sobretudo pela indignação e pela falta de respostas no que toca ao licenciamento dos trabalhos pretendidos, “reunimos há mais de 5 meses com a junta e o presidente da câmara, que empurrou o problema para as estradas de Portugal, por questões que tem a ver com a jurisdição da estrada, são todos muito simpáticos, mas na prática ainda não resolveram nada”, disse Dário Antunes ao Portal de Alcanede.

O mais curioso é que o Movimento em causa reconhece estar na posse do mais importante para a realização da obra: matéria humana e material, faltando apenas o licenciamento e respetivos projetos. “Ninguém está a pedir dinheiro a estas entidades, se houvesse alguma vontade as coisas resolviam-se”, desabafa, prometendo não desistir da causa.

“Já houve mortes por atropelamento, inclusive a minha irmã há alguns anos”, admitiu Dário Antunes que sublinhou o facto do trânsito de camiões ser intenso, tendo em conta os vários núcleos de pedreiras ali existentes “ o trânsito de camiões afunila em Valverde, tudo passa por aqui”.
 
 


Artigos Relacionados

Antigos alunos de Alcanede reencontram-se em mais um jantar convívio

Paulo Coelho

Jovens de Pé da Pedreira, Barreirinhas e Murteira organizam festa de Santo António

Paulo Coelho

Festas anuais de Alcanede transitam da ARCA para o parque de jogos

Carlos Coelho