24.9 C
Alcanede
Domingo ,18 Agosto, 2019
Opinião

Movimento Cívico pela Repavimentação da ER361 e o tributo ao Rogério Francisco

O Movimento Cívico pela Repavimentação da ER 361, entre Alcanede e Alcanena, quer prestar, precisamente ao 7º Dia do seu desaparecimento físico, uma singela homenagem ao nosso amigo Rogério Francisco.

O Movimento foi constituído em janeiro de 2010, tendo sido gerado a partir do fórum do Portal de Alcanede. Foi a resposta cívica a um problema com décadas – a degradação da ER 361, via de comunicação estratégica para a competitividade do tecido produtivo desta região, onde a segurança de pessoas e bens estavam em causa.

Por via do trabalho desencadeado por este Movimento Cívico, a ER 361 sofreu obras de beneficiação referentes à 1ª fase em 2012, estando a 2.ª fase no concelho de Alcanena ainda hoje (Agosto de 2019) por começar.

Para este grande feito, as dificuldades dos impulsionadores do Movimento Cívico foram muitas. Ao princípio tudo correu bem, à boa maneira portuguesa, as pessoas despertaram para a causa da ER361, envolveram-se e participaram em massa, com elogios rasgados e muitas palmadinhas nas costas aos promotores da iniciativa. E tu, Rogério Francisco, estiveste lá, a incentivar-nos, e foi aí que te conhecemos.

Mas, como estas causas levam tempo a atingir resultados, facilmente a motivação das pessoas se desvanece e, também à boa maneira portuguesa, deixam os impulsionadores do Movimento Cívico sem a força de apoio de retaguarda mas com a responsabilidade de carregarem com todo o processo para que ele ande para a frente e não morra. Aí, Rogério, ao contrário do que outros fizeram, estiveste presente e, tal como eu, os irmãos Coelho, o António, o David, o Fábio, o Luís, o Carlos, e uns quantos outros (que nos perdoem por não os enumerar a todos), não deixámos morrer o processo.

Sem já muita gente motivada para fazer ações de rua, valeram-nos as reuniões de trabalho ajantaradas com os empresários, em representação do setor empresarial da região, para que o processo se mantivesse robusto. Aí, convivemos e conhecemo-nos melhor a todos, reforçando a coesão e o espírito do nosso grupo.

Para quem se mete num processo destes, para além de uma boa estratégia de atuação sobre a causa que se defende, é necessário ter muita paciência e dedicação à mesma, porque o “sistema” está todo organizado para resistir, formalmente, institucionalmente e politicamente, a iniciativas levadas a cabo pelos cidadãos, apesar de estas estarem consagradas no direito constitucional da república portuguesa.

O Rogério apreendeu isso com o Movimento Cívico, porque, até aí, para ele, estas causas defendiam-se com protesto de corte de estradas e outras coisas que tais!… Saber que a causa que defendia era um direito que lhe assistia enquanto cidadão, juntou à paciência e à dedicação que já tinha, um reforço do ânimo, a resistência e a persistência, para continuar a lutar pela mesma. Quando o Rogério sentia que o processo estava a ficar esquecido na opinião pública, era ele que nos incentivava a desenvolvermos novas ações. Não esquecemos isso.

Rogério, resistimos juntos às missivas da Estradas de Portugal. S.A., quando esta nos retirou os cartazes de protesto e quando veiculou informação falsa sobre a obra à Assembleia da República e à imprensa.
Rogério, resistimos juntos às missivas de forças ocultas e não ocultas que pretendiam diluir e aproveitar-se do trabalho desenvolvido pelo Movimento Cívico.

Dissipamos, juntos, a cortina de fumo do pássaro do “Bico-amarelo” inventado pelo então presidente da Câmara de Santarém, Dr. Moita Flores que, ao invés de apoiar a causa, acusou a obra de não ser feita em razão de um bicho imaginário.

Resistimos, resistimos, resistimos,… sempre juntos e unidos e nem a longa espera pelas obras do saneamento básico de Alcanede e da Abrã nos demoveu!

Lutámos, lutámos muito, juntos, e conseguimos um feito que poucos acreditavam que era possível fazer.

Por isso, tu, Rogério Francisco, que estiveste desde início sempre presente na causa do Movimento Cívico, estarás sempre connosco, onde quer que tu agora te encontres.

Até sempre.

Luís Ferreira

(Membro Porta-voz do Movimento Cívico pela Repavimentação da ER 361, em conjunto com
Paulo Coelho)