26.5 C
Alcanede
Segunda-feira ,16 Setembro, 2019
Sociedade TV Sociedade

Movimento Cívico pela ER 361 reuniu forças partidárias e independentes em torno da 2ª fase da obra

Amiais de Cima foi a localidade escolhida pelo Movimento Cívico pela Repavimentação da ER 361 Alcanede/Alcanena para a realização de uma nova ação. A iniciativa, que decorreu no dia 17 de Setembro de 2013, teve como principal objetivo “lançar o desafio” aos principais agentes políticos dos concelhos de Santarém e Alcanena para que possam “acompanhar, pressionar e envolverem-se, de forma efetiva, num processo que não está totalmente concluído”, segundo disse Paulo Coelho, numa alusão à 2ª Fase da obra que ligará Amiais de Cima a Alcanena.
Não sendo uma manifestação, por vontade do Movimento Cívico, a ação foi desencadeada no primeiro dia oficial da campanha dos partidos e grupos independentes às eleições autárquicas 2013, mas encarado pelo Movimento “como mais um ato de cidadania, entre tantos já desenvolvidos”, sendo o principal foco direcionado para as diversas estruturas partidárias “que têm, inevitavelmente, responsabilidades diretas sobre esta matéria”, para que possam desenvolver “pelos canais privilegiados que dispõem, um trabalho empenhado numa obra tão estruturante como esta”, disse aquele porta-voz do Movimento.

Apesar dos trabalhos da 2ª Fase estarem geograficamente inseridos, totalmente, no concelho de Alcanena, foi decidido pelos promotores do Movimento Cívico pela ER 361, envolverem também, todos os autarcas, “atuais e candidatos às próximas eleições, no trabalho político necessário para a conclusão da obra no prazo mais curto possível”, disse Paulo Coelho.

Responderam a este desafio do Movimento Cívico, todas as estruturas partidárias do concelho de Santarém, “lamentando-se a ausência da atual Presidente da Junta de Freguesia de Monsanto e também candidata à Câmara Municipal de Alcanena”, pela coligação PSD/CDS PP, Susana Aparício. Uma atitude, que para o Movimento Cívico, “não merece nenhum comentário especial”, deixando para os cidadãos eleitores de “Monsanto e Alcanena, a leitura que acharem por bem fazer à atitude da autarca”, afirmou Paulo Coelho.

Para o Movimento Cívico, “muito mais importante do que comprovar o que quer que seja a alguém, o mais interessante foi perceber que a esmagadora maioria dos autarcas da região”, onde se insere a ER 361, entre atuais Presidentes e candidatos às Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia, disseram “presente ao nosso desafio. Veremos se agora darão cumprimento às promessas hoje feitas aos cidadãos”. Nesse sentido, o Movimento Cívico prometeu estar “muito atento” ao trabalho prometido “sobretudo depois das eleições”, disse.

Usaram da palavra nesta ação, Rui Ferreira (PSD), Idália Serrão (PS), Francisco Mendes (Mais Santarém), Aires Lopes (CDS PP), Francisco Madeira Lopes (CDU), Bruno Góis (BE) em representação das várias estruturas partidárias do concelho de Santarém, Fernanda Asseiceira (PS) e Artur Rodrigues (ICA) do lado do concelho de Alcanena. Luís Ferreira e Paulo Coelho falaram em nome do Movimento Cívico.

Nota: Ricardo Gonçalves, Presidente da Câmara Municipal de Santarém também marcou presença na iniciativa, tendo saído, por motivos de agenda, antes do início dos discursos.

 


Artigos Relacionados

Moto Palheiro e concerto da Banda do Xartinho são destaques nas festas de Mata do Rei

Carlos Coelho

Santa Casa de Alcanede organiza caminhada solidária “Rota do Castelo”

Portal Alcanede

EN 362 – População ameaça com protesto em plena Expo Alcanede e autarcas reúnem com IP esta sexta feira

Portal Alcanede