15.9 C
Alcanede
Quarta-feira ,14 Abril, 2021
Sociedade

Investigadora de Alcanede premiada no concurso de Ensaio do Montepio

Foto: Correio do Ribatejo

O prémio de ensaio do Montepio, que este ano teve como tema central “Solidariedade entre Gerações”, no âmbito do ano europeu para o Envelhecimento Ativo, premiou o trabalho de uma alcanedense. Zélia Patrícia Ferreira, de Mosteiros, enfermeira no Hospital de Santarém, apresentou a sua reflexão com base na sua experiência pessoal e na sequência da tese de mestrado em ‘Saúde e Envelhecimento’, concluído o ano passado, na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa.

O ensaio “Bengala da Vida – a complexidade da solidariedade entre gerações na sociedade atual”, valeu-lhe o 5º lugar.
Em declarações ao jornal Correio do Ribatejo, a profissional de saúde disse que “Durante três anos, trabalhei num Lar de Idosos, em são Domingos [Santarém], e essa experiência foi muito enriquecedora, quer em termos pessoais, quer em termos profissionais”, disse. E foi neste contexto que começou a interessar-se pelas questões do envelhecimento, revelou.
 

Zélia Patrícia Ferreira considera que este ano europeu, dedicado ao Envelhecimento Ativo e Solidariedade entre Gerações, tem uma importância fulcral para “despertar consciências” e “mudar atitudes e comportamentos”.
“Temos de criar uma sociedade que dê lugar a todos”, afirmou, lembrando que dentro de poucos anos haverá um “aumento exponencial de pessoas idosas” no país: “Portugal não está a repor a demografia, e as últimas projeções do INE apontam mesmo para uma duplicação da percentagem de idosos, já em 2050”, indicou a investigadora ao Correio do Ribatejo.
 

Neste concurso, foi ainda distinguida outra investigadora do concelho de Santarém. Helena Nogueira licenciada em filosofia pela Universidade de Évora, trabalha como voluntária na Universidade da Terceira Idade de Santarém (UTIS) desde 2008. O ensaio “Anciania e Desenvolvimento local – A construção do futuro nas Universidades da Terceira Idade”, desconstrói a ideia de que “a velhice é uma idade estéril” e aponta o caminho da “recuperação de um papel fundamental antes dado ao mais velho, a figura do ancião, como aquele que sabe dar um conselho, ou seja, apontar um caminho para o futuro e para as gerações vindouras”.

A investigadora associada do Centro de Investigação Joaquim Veríssimo Serrão e formadora de Cidadania no ISLA/Lusófona de Santarém, acredita que este capital de conhecimento pode ser potenciado, propondo que se introduza, nas UTIS, “uma dinâmica de núcleos de estudos orientada para o desenvolvimento local”.
“Conhecedores profundos da região, do tecido social que percorre os trilhos dos seus antigos contextos profissionais às suas famílias, e dos diferentes problemas que caracterizam o seu território, poderiam, estes alunos, fazer um levantamento das potencialidades da região”, pode ler-se no texto da autora.

A cerimónia de entrega dos prémios aos vencedores do concurso de Ensaio do Montepio teve lugar no dia 26 de abril de 2012, no Palácio de Porto Covo, em Lisboa.

 

Artigos Relacionados

Video – 25ª Festa das Minissaias

Carlos Coelho

Queimadas originam vários focos de incêndio na freguesia de Alcanede este Domingo

Portal Alcanede

Covid-19: Santa Casa de Alcanede regista um óbito e 26 casos positivos

Portal Alcanede