26.5 C
Alcanede
Segunda-feira ,16 Setembro, 2019
Sociedade

Festa de Alcanede – “As fogaças continuam a surpreender-nos”

A direção da ARCA – Associação Recreativa e Cultural de Alcanede fez um balanço positivo das festas em honra de Nossa Senhora Mãe da Igreja que decorreram de 23 a 26 de agosto no recinto do parque de jogos de Alcanede.

“A nossa festa está a tornar-se cada vez mais especial, acho que todos os Alcanedenses devem orgulhar-se das festividades” referiu ao Portal de Alcanede, João Machado.

O presidente da ARCA destacou a afluência de público e o momento marcante da procissão realizada no domingo dia 25 de agosto, que este ano contou com a presença das bandas filarmónicas de Alcanede e de Nossa Senhora da Lira, proveniente da freguesia da Candelária, Concelho de Ponta Delgada, ilha de S. Miguel – Açores.

O trabalho da população nos enfeites das fogaças também foi sublinhado pelo dirigente associativo e onde este ano se destacaram os temas: Igreja matriz, a vindima, apanha da azeitona e tribo jovem.

“As fogaças continuam a surpreender-nos, ano após ano, bem como o trabalho desenvolvido pelas pessoas. A ARCA está muito grata por tudo” disse, João Machado.

A Igreja Matriz foi um dos símbolos que serviu de tema para a fogaça que envolveu a população de Colos, Oleiros, Voltas, Casal Quintino, Coval, Bairro dos Murtais e Quinta da Rainha.

“O nosso objetivo não foi angariar dinheiro para as obras da igreja, mas sim alertar para a necessidade de contribuírem para esta causa. A fogaça foi bastante trabalhosa, porque a igreja tem bastantes pormenores” reconheceu, Clara Correia.

A edição deste ano da festa ficou, também, marcada por uma homenagem ao espírito associativo da terra, no passado, no presente e no futuro.

“O passado, com os fundadores representados pela bandeira original, o presente, representado com o logótipo criado pelo Paulo Mendo, e o futuro, representado pelas inúmeras bandeiras da Tribo Jovem” disse, Wanda Mendo.

A fogaça que partiu da Rua Manuel Alves Frazão pretendeu enaltecer um “forte espírito associativo e de união – simbolizada na fogaça, a dourado, e muita vontade de fazer acontecer, esse foi o propósito de todos aqueles braços e mãos na fogaça, prestando homenagem à Tribo Jovem, que nos enche de orgulho por darem continuidade e preservarem as nossas tradições”, referiu.

Os lagares de outrora também estiveram representados numa alusão às vinhas da região de Alcanede “recriámos o vinho e os trabalhadores do campo. Tirámos uns serões para fazer a fogaça mas foi com muita satisfação e entusiasmo de todos os que participaram” disse, Helena Vieira, um dos elementos do grupo que se envolveu na ornamentação.

O trabalho do campo foi o tema trazido pelo grupo da fogaça de S. João que lembrou a apanha de azeitona, “criámos o ambiente de antigamente com as pessoas a apanhar a azeitona em panos e a varejar para depois serem transportadas em carroças. Fomos ao pormenor da merenda, a água da bilha e o poço com a picota” referiu ao Portal de Alcanede, Bela Fernandes.

Reportagem: Bruna Coelho / Carlos Coelho

VER FOTOS


Artigos Relacionados

Danças de salão e torneio de futsal também fazem parte da “ementa” da Expo Alcanede 2011

Paulo Coelho

Grupo Motard “Doidos por Elas” oferece nova Pia à Igreja de Alcanede

Paulo Coelho

Vespinhas do Castelo de Alcanede inauguraram nova sede

Paulo Coelho