10.3 C
Alcanede
Quinta-feira ,2 Dezembro, 2021
Economia

Exportação de pedra calcária cresceu cinquenta por cento para o mercado chinês

O sector da pedra calcária cresceu 50 por cento nas exportações para o mercado chinês, durante o ano de 2010, alcançando uma facturação na ordem dos 50 milhões de euros.

Estes números foram relevados ontem pela ASSIMAGRA – Associação Portuguesa dos Industriais de Mármores Granitos e Ramos Afins, durante uma visita do embaixador da China em Portugal à zona das pedreiras de Alcanede (Santarém), na zona das serras d’Aire e Candeeiros.

Segundo o presidente da ASSIMAGRA, Manuel Simões, cerca de 70 a 80 por cento da exportação de alguns tipos de calcário têm como destino o mercado chinês que “valoriza muito as características desta pedra com a sua homogeneidade, a cor e o seu potencial de utilização na construção de edifícios”.

Manuel Simões referiu ainda que o crescimento das exportações para a China “compensaram a quebra noutros mercados, como Espanha”, permitindo que o sector da pedra em Portugal tenha crescido, mesmo em tempo de crise económico, cerca de 7,5 por cento em 2010.

Segundo Manuel Simões, “o futuro do sector continua a passar pela aposta na exportação porque não há mercado em Portugal suficiente”.

Isto porque “a pedra é o ouro português das nossas serras e temos que aproveitar o crescimento da construção na China para crescermos ainda mais nas exportações para este mercado”, afirmou o dirigente da ASSIMAGRA.

Segundo dados desta associação sectorial, os preços pagos pela pedra calcária portuguesa cresceram cerca de 800 por cento nos últimos 5 anos, um crescimento que “tem ajudado o sector da pedra da serra d’Aire e Candeeiros a manter o dinamismo económico e a criar riqueza para o país”, salientou Manuel Simões.

O embaixador da China, Zhang Bei San, afirmou estar disponível para ajudar a reforçar os laços de cooperação entre as empresas portuguesas e chinesas, salientando que, em muitos domínios da economia, “pode ser feito mais para aprofundar as relações bilaterais” entre estes países.

Zhang Bei San disse também que “é preciso ultrapassar o desequilíbrio que existe na balança comercial entre Portugal e a China”, afirmando mesmo que “a China deve comprar mais produtos portugueses”.

A China é o principal destino de exportação da pedra calcária portuguesa do maciço estremenho, um tipo de pedra que, entre 2006 e 2010, passou de 20 milhões para 50 milhões de euros de volume de facturação.

A exportação de pedra portuguesa representa cerca de 350 milhões de euros em volume de negócios, vale 0,81 por cento das exportações nacionais e este sector, essencialmente exportador, dá emprego a 5000 pessoas só na zona das serras d’Aire e Candeeiros, onde se situam cerca de 600 pedreiras.

Cerca de 50 por cento das rochas ornamentais que são exportadas provém desta zona do maciço calcário estremenho, que é uma das maiores reservas de calcário da Europa. Por ano são extraídos cerca de 3 milhões de toneladas de calcário destas serras.

Fonte: Lusa

NOTA: No antigo site do Portal esta página foi lida 526 vezes

Artigos Relacionados

JJ. Plásticos investe em tecnologia inovadora para segurança de clientes e colaboradores

Portal Alcanede

Fravizel – Novos produtos levam empresa a Espanha, França, Itália e Portugal este mês de setembro

Portal Alcanede

Restaurante «O Alcaide» em Alcanede aposta na remodelação de esplanada

Paulo Coelho