5.7 C
Alcanede
Quarta-feira ,19 Janeiro, 2022
Artigos de Opinião

ER 361 Alcanede – Alcanena – Ponto de Situação

Passadas as férias, é tempo de fazer o ponto de situação relativo aos desenvolvimentos da beneficiação da ER 361. Nesse sentido, em nome do Movimento Cívico pela ER 361, questionou-se o director operacional Centro Sul da Estradas de Portugal, S.A., sobre o andamento do processo relativo ao inicio das obras da 1ª fase deste troço da estrada, que liga as localidades de Alcanede a Alcanena. O troço em causa, convém recordar, prevê para já, a beneficiação entre o km 52+130 e o km 61+ 890, envolvendo uma verba de um milhão e setecentos mil euros, tendo o concurso público já decorrido.

Não é com gosto que nos repetimos, mas é fundamental que assim seja. É imperativo que os organismos da administração pública entendam, de vez, que é um direito dos cidadãos (contribuintes) serem esclarecidos sobre os assuntos que os preocupam, assim:

Esta é uma obrigação do InIR – Instituto de Infra -Estruturas Rodoviárias, I.P, que tem como principal missão fiscalizar e supervisionar a gestão e exploração da rede rodoviária, controlando o cumprimento das leis e regulamentos e dos contratos de concessão e subconcessão, de modo a assegurar a realização do Plano Rodoviário Nacional e a garantir a  eficiência, equidade, qualidade e a segurança das infra-estruturas, bem como os direitos dos utentes.

Igualmente é, uma obrigação da EP, S.A (enquanto sociedade anónima de capitais públicos, cujo capital social, é detido na sua totalidade pelo Estado e que tem como missão a prestação, em moldes empresariais, de um serviço público cujo objecto consiste, por um lado, no financiamento, conservação, exploração, requalificação e alargamento das vias que integram a Rede Rodoviária Nacional e por outro, na concepção, projecto, construção, financiamento, conservação, exploração, requalificação e alargamento das vias que integram a Rede Rodoviária Nacional Futura.

Questionado o Eng.º Alcindo Cordeiro (Director Operacional Centro Sul da Estradas de Portugal) sobre se:

Já é conhecido o nome da empresa que vai efectuar as obras da 1ª fase da repavimentação da ER 361? A resposta foi que “Ainda não. Está a ser elaborado relatório final.”

Qual a data certa para o arranque das obras no terreno? A resposta foi que “Ainda não é possível adiantar uma data certa.”

O processo decorre ou decorreu com total normalidade? A resposta foi que “O processo decorreu com a normalidade prevista.”

Em Março deste ano o InIR, disse que as obras deveriam incluir o alargamento do Pontão de Alcanede, mas o km para arranque das obras (nesta fase) é alguns metros mais à frente. O Pontão situa-se no (km 51+810) ou seja, cerca de 320 metros antes do arranque da obra. Dada a proximidade de homens e máquinas, não vai ser possível alargar o Pontão de Alcanede? A resposta foi que “Teria de esclarecer melhor o Pontão identificado como de Alcanede, mas que o Pontão sobre o Ribeiro dos Pousios (km 52+400) será intervencionado no âmbito da empreitada.”

Em relação ao pontão em causa, esclarecemos o Sr.Engº Alcindo Cordeiro com a indicação precisa do mesmo (com foto via satélite), sendo que até agora ainda não obtivemos resposta.

Nos próximos dias vamos entrar em contacto com a XI Comissão Parlamentar de Obras Publicas e Transportes, que está responsável pela nossa petição, afim de saber os últimos desenvolvimentos do processo desde a nossa última reunião junto das entidades competentes e quando é que a petição assinada pelos 4.604 subscritores sobe a plenário na Assembleia da Republica.

Chega de férias, vamos todos trabalhar pela beneficiação da ER 361. Tal como o saneamento básico em Alcanede, só ficaremos realmente satisfeitos quando ouvirmos o som, mesmo que irritante, das máquinas da empresa a quem for adjudicada a obra da ER 361.

Está na hora das máquinas começaram a trabalhar. Bem sabemos, que o prazo para o inicio das obras é até Outubro de 2010, mas já estamos quase no final de Setembro e convém não baixar a guarda.

Um bem-haja a todos.
Pelo Movimento Cívico ER 361

Artigos Relacionados

As vilas de Alcanede e de Pernes na escrita do tempo

Portal Alcanede

Quando deixaremos de ser tratados como “carne para canhão”?

Carlos Coelho

Um Silêncio que vale… euros

Paulo Coelho