26.5 C
Alcanede
Segunda-feira ,16 Setembro, 2019
Sociedade

EN 362 – Falta de estacionamento e largura da estrada indigna população de Alcanede

As obras de requalificação da EN 362 estão a gerar contestação junto da população e comerciantes de Alcanede. As principais queixas incidem na substancial redução do atual espaço de estacionamento e no encurtar da estrada que entre lancis perde pelo menos 1 metro.

Em causa está o troço entre o principal cruzamento e a zona onde fica localizada a placa que sinaliza a vila de Alcanede, numa extensão urbana.

“O estacionamento do lado do comércio desaparece todo, desde o cruzamento até ao posto médico, seguramente perdem-se 18 lugares desde a paragem do autocarro numa faixa que chega ao antigo lagar. Temos a agravante de que a nova praça de táxis, com cerca de 20 metros, ainda empurra mais o estacionamento” lamentou Luís Martins, proprietário do café da Vila.

Numa zona de comércio e serviços adensa-se a preocupação com o andamento das obras, “isto está a ser feito de uma maneira que nem para mim tenho estacionamento para cargas e descargas. Os dois lugares que tinha, ao lado da loja, simplesmente desaparecem” desabafou por sua vez Jorge Justo, o responsável pela empresa JJ Plásticos.

No início do processo de requalificação da via, que inclui os passeios, a maior parte da população entende que é possível emendar o que apelidam de “um erro do projeto”.

“Penso que se deve retificar, senão sou levado a crer que em Portugal tudo o que estiver mal não tem emenda numa espécie de fatalidade”, disse ao Portal de Alcanede, Joaquim Frazão.

O empresário não contesta apenas a falta de estacionamento e a dimensão dos passeios em algumas zonas, duvidando também da circulação rodoviária em segurança, sobretudo de veículos pesados, tendo em conta que a estrada deverá ficar com pouco mais de 6,15 metros.

“Basta ir à ponte da ER361 na saída de Alcanede para Rio Maior e medir de passeio a passeio para verificar que falta pelo menos 1 metro no troço que estão neste momento a requalificar”, sublinhou também ao Portal de Alcanede, Lino Machado, gerente da Alcasuper.

“Se estamos no meio do comércio tradicional e perdemos parque e comodidade de estacionamento, as pessoas procuram outros locais”, referiu o empresário João Rodrigues da Exaclean.

“Devíamos ter parques de ambos os lados da estrada e reduzir os passeios que dão neste caso para fazer festas e esplanadas, é uma vergonha. No meu caso, tenho 4 lugares junto à loja e fico sem nenhum! Não são para mim, são para os meus clientes”, disse indignado.

A população pede respostas da Infraestruturas de Portugal e dos autarcas de Alcanede e Santarém no sentido de se encontrar uma solução que não afaste as pessoas do centro da Vila, salvaguardando alguma dinâmica de comércio.

O Portal de Alcanede questionou a IP – Infraestruturas de Portugal, sobre esta matéria não obtendo até ao momento desta publicação qualquer resposta.

As questões foram também enviadas ao presidente da junta, Manuel Joaquim Vieira, e ao Presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves, que ainda não se manifestaram publicamente sobre o assunto.


Artigos Relacionados

Clinica Veterinária de Alcanede vai desvendar os premiados do “Calendário CVA 2017” durante as III jornadas

Carlos Coelho

Restaurante “Mina Velha” em Santarém vai acolher Grupo Convívio 1960-74

Carlos Coelho

Gesto benemérito marca festejos anuais em Espinheira

Paulo Coelho