17 C
Alcanede
Sexta-feira ,10 Abril, 2020
Sociedade

EN 362 – A «estrada de ninguém» tem buracos de 50 cm na Aldeia da Ribeira

Um buraco com cerca de meio metro e de profundidade acentuada, está a colocar em perigo os automobilistas e transeuntes que circulam junto à estrada EN 362 que liga Alcanede a Santarém. Os moradores de Aldeia da Ribeira mostram-se indignados com a situação, “ é o que está à vista, já está assim há meses e não há ninguém que tome conta disto” desabafa António Alexandre ao Portal de Alcanede.

Na esperança de evitar algum acidente a junta de freguesia de Alcanede marcou o buraco com um sinal de proibição de circular a mais de 30 km hora, uma medida que se tem mostrado insuficiente quando os camiões passam perto da berma da estrada ,“todos os dias tenho que levantar a placa” queixa-se António Alexandre que se mostra também preocupado com a possibilidade dos carros ligeiros ali embaterem ,”se cai ali uma roda o carro parte-se todo”.

A mesma opinião é partilhada por Beatriz Reis moradora naquele lugar da freguesia de Alcanede, “é uma miséria, temos sempre esperança que esta estrada seja arranjada”, disse.

buraco aribeiraA depressão do pavimento em toda a largura do piso terá ficado a dever-se, segundo a população ao mau estado geral da EN 362 ao longo dos últimos anos, e às obras do saneamento básico, ”ofenderam a estrutura e o resultado está ali” referem os moradores, sem contestarem a necessidade dos trabalhos referentes ao saneamento.

O Portal de Alcanede apurou que a junta de freguesia fez um levantamento fotográfico dos diversos locais onde o pavimento está deteriorado e a sinalização é deficitária, não tendo até à data obtido resposta por parte das Estradas de Portugal,” o cenário de abandono e degradação da EN 362, regista-se em toda a sua extensão que no caso concreto da Freguesia de Alcanede vai de Vale d´Água até Valverde, passando por vários aglomerados urbanos Aldeia da Ribeira, Alcanede, Mosteiros e Valverde”, lê-se.

No documento a que o Portal de Alcanede teve acesso, o executivo presidido por Cristina Neves manifesta a intenção de desenvolver esforços de forma a obter, “uma solução que melhor sirva os interesse desta região e que dignifique de uma vez por todas as populações desta Freguesia, cujo desenvolvimento continua refém duma simples estrada há muito esperada e justamente devida”.

Recorde-se que numa entrevista à Rádio Pernes em Outubro de 2012 o então presidente da Câmara Municipal de Santarém, Moita Flores elegeu a não concretização da obra de reestruturação da EN 362 (ligação entre Alcanede e Santarém), como uma das principais lacunas dos seus mandatos, após sete anos à frente dos destinos da autarquia scalabitana.

“Gostaria de ter feito essa via estratégica porque pode unir o norte e sul do concelho. Chegámos a fazer os concursos, mas a crise estava aí, a toda a velocidade, e já não tivemos condições”, foi desta forma que o autarca se pronunciou sobre a intenção, não concretizada, de levar por diante a reestruturação deste troço rodoviário com cerca de 30 quilómetros.

Em 2008, a EN 362 deixou de ser responsabilidade das Estradas de Portugal, S.A passando a ser tutelada pela Câmara de Santarém, após a assinatura de um protocolo oficializado com o então secretário de estado das obras públicas, Paulo Campos.

Esse mesmo protocolo terá sido agora contestado pelo actual presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves com o argumento de que esta transferência para a jurisdição da edilidade não chegou a concretizar-se. Tendo em conta os novos factos o Portal de Alcanede vai perguntar nos próximos dias a estas entidades de quem é a responsabilidade da EN 362.
 


Artigos Relacionados

Murteira e Barreirinhas preparam-se para festa em honra de São Vicente

Paulo Coelho

Utentes do Centro Social Serra do Alecrim dão contributo para o livro “Melodias na Manta”

Carlos Coelho

7ª Concentração Motard “Doidos por Elas” superou número de inscritos

Portal Alcanede