22 C
Alcanede
Sábado ,8 Maio, 2021
Sociedade

Concurso público para 2ª fase da ER 361 será lançado no último trimestre de 2012

O lançamento do concurso público e o projeto de execução que vai permitir o avanço das obras da 2ª fase da ER 361 entre Amiais de Cima e Alcanena deverá acontecer no último trimestre deste ano. A garantia foi hoje dada por Alcindo Cordeiro, diretor da delegação regional de Santarém da Estradas de Portugal, SA em resposta a um pedido de esclarecimento do Movimento Cívico pela repavimentação da ER 361, confirmando que “a continuidade da intervenção da estrada foi retomada”.

O responsável pela delegação regional de Santarém adiantou que no projeto de execução deverá estar incluído “o estudo de impacte ambiental e o projeto de expropriações”, tendo em vista o “processo de avaliação de impacte ambiental e a realização das expropriações necessárias à aquisição dos terrenos para melhoria do traçado nas proximidades de Monsanto”.
 

Em reação a este anúncio da EP, SA o Movimento Cívico mostrou-se “satisfeito com a promessa da empresa de que o concurso público para 2ª fase será aberto ainda este ano”. No entanto, Paulo Coelho diz não entender muito bem “como é que o processo foi retomado!?”, já que, segundo este porta-voz, “isso dá a entender que esteve parado! Se esteve não devia, já que é tempo que se está a perder. Tempo e dinheiro, cada vez mais escassos”.
 

O Movimento recorda que o secretário de estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, Sérgio Silva Monteiro, quando anunciou as obras da 361 “estava certamente a falar dos 17 km e não apenas da primeira fase, dada a sua importância no seu todo”. Confirma-se deste modo, segundo Paulo Coelho, que “não dá para baixar a guarda um dia que seja. Se a pressão deixar de ser exercida, tudo cai no esquecimento, foi assim que esteve a 361 durante mais de 15 anos”.
 

Segundo o mesmo porta-voz, é importante que todas as pessoas, “cidadãos, autarcas, deputados e empresários, não cruzem os braços pela causa”, caso contrário, refere “a 2ª fase poderá demorar anos até ser uma realidade”.
O Movimento Cívico lembra que, “estivemos quase um ano à espera de uma assinatura para que as obras entre Alcanede e Amiais de Cima fossem uma realidade”, como tal, “apesar da nossa satisfação pelo andamento do processo, convém manter a pró atividade”, referiu.
 

No passado mês de junho o Movimento Cívico promoveu, em Amiais de Baixo, mais uma reunião com empresários e autarcas da área de influência da via que liga Alcanede a Alcanena. Da reunião de trabalho, saiu um documento assinado por cerca de quarenta e cinco empresários e pelos presidentes das juntas de freguesia de Abrã e Amiais de Baixo. No documento enviado à EP,SA foi reforçada a importância da ER 361 nos seus 17 km, ao nível da segurança de pessoas e bens, bem como para a vitalidade económica da região.

 

Artigos Relacionados

Ladrões voltam a atacar na vila de Alcanede

Paulo Coelho

CMS concede apoio de 5 Mil euros à Associação dos Amigos de Vale do Carro, Várzea e Casais Limítrofes

Portal Alcanede

Está à porta o VI Passeio Ponte Romana organizado pelo BTTegas

Paulo Coelho