15.9 C
Alcanede
Quinta-feira ,15 Abril, 2021
Sociedade

B.V.A – Leilão de Blocos de Pedra e Arraial ajudam na aquisição de equipamentos de proteção individual

Os Bombeiros Voluntários de Alcanede não estão protegidos, de acordo com as normas regulamentares da Autoridade Nacional de Protecção Civi,l no que toca aos equipamentos de proteção individual, “constata-se que não há equipamento adequado”, admite o comandante dos Bombeiros Voluntários de Alcanede, Filipe Regueira.

As recentes normas de certificação europeia e a ficha técnica n.º 10 da A.N.P.C (que regula as especificações a que deve obedecer este equipamento) traz novos desafios e custos associados à direção dos Bombeiros.

O Portal de Alcanede apurou que os equipamentos, num total de 50, destinam-se a fogos urbanos e  já estão na posse da corporação, “ mas não estão pagos, porque não temos fundos para isso” reconhece António Baptista, presidente da direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Alcanede.

Os equipamentos em causa são compostos por casaco, calça, capacete, bota e outros acessórios que não sendo de proteção individual se mostram essenciais no apoio ao desempenho da missão dos bombeiros, tendo como prioridades ” um carregador dos aparelhos respiratórios utilizado em ambientes contaminados e algumas lanternas”.

Nesta matéria o comandante dos B.V.A, Filipe Regueira reconhece que “felizmente em Alcanede nunca aconteceu nenhuma tragédia, ao contrário de outros casos no país que terminaram da pior forma” com custo de vidas humanas. Também da parte da direção é sublinhada a importância de dotar o corpo de bombeiros de condições que salvaguardem a sua integridade física, “quando eles saem para qualquer ocorrência, sobretudo incêndios, tem que estar devidamente protegidos para evitar acidentes graves”, disse António Batista ao Portal de Alcanede.

O investimento superior a 100 mil euros é comparticipado em cerca de 75% através do quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), sendo o restante suportado pela A.H.B.V.A.” o investimento necessário para esta casa ultrapassa os 300 mil euros, mas temos que ir por fases e adquirir o que é possível”, sublinha António Baptista.

A iniciativa do arraial popular do próximo dia 31 de maio (sábado), contempla um leilão empresarial de blocos de pedra (cerca 30), marcado para as 16h 30m, doados por empresários ligados ao setor e que tem por finalidade ajudar a minimizar os impactos da aquisição dos equipamentos de proteção individual dos bombeiros, “agradeço a todos os empresários que estão a colaborar, já tenho participado em alguns leilões de blocos e achei que a ideia se adequava, aqui aos bombeiros”. A previsão da receita do leilão vai depender do número de blocos angariados, uma contabilidade que deverá estar fechada no final da próxima semana, “ainda não fiz um levantamento real de cada pedra, mas a correr bem anda à volta dos 20 a 30 mil euros”, admite  presidente da direção da A.H.B.V.A.

O evento pretende também funcionar como, “um dia aberto a toda a comunidade” para reforçar os laços entre a população e os bombeiros. Nesse sentido, a organização do arraial popular, agendado para as 19h30m, disponibiliza um momento musical com o grupo “Camisas Negras”, enquanto se saboreiam as sardinhas, febras, filhoses e café da Avó. O ambiente festivo culminará com um baile abrilhantado por LF Music.

cartaz arraial 2014
 

Artigos Relacionados

500 Anos do foral de Alcanede e Pernes com comissão de honra

Carlos Coelho

Tragédia na Foz do Lizandro deixa comunidade Alcanedense de luto

Carlos Coelho

Apesar das adversidades, Vale do Carro mantém a tradição anual

Paulo Coelho