11.7 C
Alcanede
Quinta-feira ,22 Fevereiro, 2024
SaúdeSociedade

Centro de Vacinação de Santarém de volta à Casa do Campino

A Casa do Campino, em Santarém, será novamente, a partir de 8 de dezembro de 2021, o local de funcionamento do Centro de Vacinação de Santarém. A informação foi prestada à Agência Lusa pelo coordenador do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) da Lezíria.

O aumento exponencial da procura da vacina contra a covid-19, que nas duas últimas semanas passou de 75% para 150%, faz com que o Centro de Vacinação de Santarém deixe funcionar no antigo refeitório da ex-Escola Prática de Cavalaria, para onde foi transferido no Verão, regressando novamente à Casa do Campino, disse Carlos Ferreira.

Para o coordenador do ACES Lezíria, com o aumento da procura, as atuais instalações não oferecem as condições exigidas para atendimento e espera, pelo que foi acordado com a Câmara Municipal de Santarém que, findo o Festival Nacional de Gastronomia, que decorreu até domingo na Casa do Campino, este espaço seria reativado para a vacinação.

De acordo com Carlos Ferreira, a partir de dia 8 de Dezembro, as vacinas contra o vírus SARS-Cov-2 vão passar a ser ministradas na Casa do Campino no horário das 09h00 às 17h00, sete dias por semana, continuando a dar resposta às marcações feitas a nível central, às realizadas localmente e à modalidade Casa Aberta, disse.

O coordenador do ACES Lezíria afirmou que desde o início da vacinação contra a covid-19 foram ministradas, nos nove concelhos abrangidos pelo ACES Lezíria – Almeirim, Alpiarça, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Golegã, Rio Maior, Salvaterra de Magos e Santarém –, um total de 325.637 vacinas, 25.340 das quais correspondem a terceiras doses. Só no concelho de Santarém foram ministradas 99.688 vacinas, 7.684 das quais terceiras doses, adiantou.

Nestas declarações à Lusa, Carlos Ferreira indicou também que há duas semanas o Centro de Vacinação de Santarém registava uma taxa de ocupação de cerca de 75 por cento em relação à capacidade instalada, procura que subiu para os 150 por cento.

Aquele responsável confirmou não haver registo de surtos na região, mas salientou o “grande crescimento” de infeções na comunidade, com o número de casos a quase duplicar em duas semanas, dos 352 registados a 13 de Novembro para os 611 do último domingo.

Foto: João Nuno Pepino

Artigos Relacionados

Centro de Saúde de Alcanede sem médicos preocupações chegam ao Ministro da Saúde

Carlos Coelho

41º Aniversário do CSRV é assinalado com a 4ª edição da Festa das Sopas

Carlos Coelho

Contagem decrescente para a VIII Miss Freguesia de Alcanede em Alqueidão do Rei

Paulo Coelho