17.9 C
Alcanede
Domingo ,19 Maio, 2024
Entrevistas

Manuel J Vieira: “A Expo Alcanede tem evoluído de ano para ano”

MJVieira 1

MJVieira 1Tasquinhas, exposição empresarial, artesanato, folclore, concertos de bandas filarmónicas, danças de salão, torneio de futsal, desportos motorizados, bailes e muita animação vão marcar a edição deste ano da Expo Alcanede. A iniciativa arranca já esta sexta-feira, 16 e prolonga-se até Domingo dia 18 de Setembro de 2011.

Um fim-de-semana que promete trazer muitas pessoas até à nossa vila e que motivou uma conversa com Manuel Joaquim Vieira. Nesta entrevista ao Portal de Alcanede, entre outros assuntos, o presidente da Junta de Freguesia fala de como nasceu a ideia de realizar o evento, da crise que atravessa o país, da falta dos balneários no parque desportivo e confirma que o certame não dá lucro à Junta de Freguesia.

mjvieira4Portal Alcanede – A ideia de dinamizar anualmente um evento desta natureza, aberto a toda a comunidade local e não só, surge por vontade da Junta de Freguesia. Recorda-se de como nasceu a ideia da Expo Alcanede há seis anos atrás?

Manuel J. Vieira – Tudo começou com a realização das tasquinhas no jardim de São João, mas como espaço já se estava a tornar pequeno para as associações que queriam participar, tivemos de pensar numa nova localização, que é a atual (onde se realiza a feira). Como o espaço é tão grande achámos que a mostra gastronómica seria pouco e depois de uma consulta feita a algumas empresas, todas se mostraram interessadas em participar, embora em número mais reduzido do que hoje. Só para se ter uma ideia, a primeira tenda que lá foi montada tinha apenas 40 metros por 15 e atualmente tem 60 por 30, ou seja quase o dobro dos expositores. Portanto, a necessidade de aproveitar da melhor maneira o espaço existente, foi aliar a gastronomia com a exposição empresarial e tornar a iniciativa mais atrativa para todos.

Portal Alcanede – O facto desta zona Norte do concelho de Santarém e em especial a freguesia de Alcanede ter um forte potencial ao nível empresarial e industrial, pesou na hora de projetar este evento?

Manuel J. Vieira – Pesou, realmente a nossa freguesia e toda parte Norte têm muitas empresas de varias atividades, inclusivamente serviços, e é com satisfação que vemos que praticamente todos têm acompanhado este certame desde o primeiro dia.

Portal Alcanede – Em média, quantos expositores costumam marcar presença na Expo Alcanede?

Manuel J. Vieira – Nesta edição temos entre expositores empresariais, de artesanato e associações, cerca de 70.

mjvieira1Portal Alcanede – Acredito que face às dificuldades financeiras que o país atravessa e com naturais impactos negativos também nas empresas, exista hoje uma maior dificuldade em reunir um número maior de expositores?

Manuel J. Vieira – Aqui não sentimos isso. Há muitos empresários, que embora não tenham participado nas primeiras edições, quando aqui chegam e se apercebem do volume de pessoas que aqui estão a expor, ficam admirados e no ano seguinte querem participar. Inclusivamente este ano é a

edição que tem mais expositores. Vão cá estar empresas que nunca cá estiveram, o pavilhão está superlotado, mesmo que quiséssemos lá pôr mais alguém não podíamos e algumas associações que estavam na tenda do setor empresarial vão estar este ano na tenda da gastronomia. Tem existido procura e neste sentido a Expo Alcanede tem evoluído.
Em relação à crise, nós sabemos e temos consciência de que há aqui empresas que não vão fazer negócio, mas porque são bairristas e gostam de estar representados na sua freguesia, aproveitam para convidar alguns amigos, clientes e num ambiente mais descontraído, algumas vezes, acabam por surgir possibilidades de negócio.

Portal Alcanede – As coletividades e instituições da freguesia, deduzo, que tenham um peso muito importante para o sucesso da Expo. Não é difícil convence-las a participarem?

Manuel J. Vieira – Não é difícil e por uma razão. Todos sabemos que as dificuldades económicas hoje em dia são muitas, as associações não podem estar só dependentes dos subsídios e aqui estando é uma maneira de se capitalizarem. Montam um bar, uma quermesse, os próprios restaurantes e na hora do balanço final há sempre um saldo positivo em termos monetários. Esta é uma das razões principais de nós organizarmos este evento, para que as associações, embora com algum trabalho, mostrem a quem nos visita um bocadinho daquilo que temos, desde a gastronomia ao artesanato, mas também para que tenham algum resultado financeiro que lhes permita sobreviver durante o ano.

mjvieira2Portal Alcanede – A Expo Alcanede é uma iniciativa que dá lucro à junta de freguesia?

Manuel J. Vieira – Não, pelo contrário. Nós não cobramos entradas, conseguimos na parte empresarial algumas verbas, mas que são absorvidas pelas despesas. A intenção de realizarmos a Expo Alcanede também não é o lucro, a intenção é poder mostrar para o exterior a nossa freguesia, a nossa região. Se a ideia fosse ter lucro teríamos de cobrar entradas e possivelmente se cobrássemos um euro por pessoa, quase de certeza que dava lucro.

Portal Alcanede – Mas também não dá muito prejuízo?

Manuel J. Vieira – O valor (receitas) não chega, há sempre uma parte de investimento da Junta de Freguesia no evento, embora não seja muito significativo. O ano passado ficou “ela por ela”, praticamente dá para o investimento. Não chega mas fica lá perto. Temos a parte de animação que custa um bocado de dinheiro, toda a parte da orgânica do evento, eletricidade, o aluguer das tendas, etc.

Portal Alcanede – Receia que em 2012, olhando para a situação económica de Portugal, a realização da Expo Alcanede possa estar em risco?

Manuel J. Vieira – Julgo que não, todos esperamos que não. Seria pena que algo iniciado há seis anos tivesse de parar por problemas financeiros. As empresas são as únicas que pagam a parte que ocupam e o custo também não é assim tão grande. Um stand custa 240 euros e o espaço (sem stand) custa 140 euros, não creio que o problema passe por aí. Em relação ao público, como não há cobrança de entradas as pessoas acabam por aparecer, distraem-se um pouco e se calhar um ou dois jantares fora por ano, não lhes trará mais dificuldades.

Portal Alcanede – Do programa deste ano, algo que chama a atenção prende-se com o facto de estarem previstas uma série de iniciativas em paralelo com a Expo. Torneio de futsal, passeio de motorizadas e rallycross são três exemplos, como surgiu a oportunidade?

Manuel J. Vieira – Estas iniciativas trazem habitualmente muitas pessoas a Alcanede. Lembro que o rallycross, que aconteceu por esta altura há dois anos trouxe varias centenas de pessoas a verem a prova e muitas delas acabaram por visitar a Expo e aqui jantaram, inclusive os concorrentes. Além disso é uma maneira de colocar a juventude em contato mais direto com este evento. O certame não pode ser pensado só para as pessoas de mais idade. Acaba por ser bom para a juventude e é bom para nós que organizamos.

mjvieira3Portal Alcanede – Em relação ao torneio de futsal e porque vai ser realizado no parque desportivo de Alcanede, é notória a falta dos balneários. Tem previsão de quando é que o recinto terá balneários?

Manuel J. Vieira – Eu esperava que fosse este ano, não sei se vamos conseguir porque temos tido algumas despesas extras e um contra que considero grave. Falo do corte do dinheiro que recebemos do governo (programa FEF – Fundo de Equilíbrio Financeiro) na ordem dos 10%. A Câmara Municipal de Santarém também, em paralelo, fez um corte nas transferências para a Junta de Freguesia ao abrigo do protocolo e feitas as contas, no final do ano estamos a falar de mais de 50 mil euros! Se este dinheiro chegasse até nós daria para acabar os balneários. Vamos ver, não queremos gastar mais do que aquilo que temos e a razão de ainda não estarem concluídos é só essa. Queria ver se este ano, pelo menos levava uma placa e fazíamos dois balneários. No final da Expo Alcanede faremos os acertos, o balanço e oxalá seja possível até Dezembro colocar o espaço em condições de ser utilizado.

Portal Alcanede – Ainda ao nível do programa deste ano, que outros momentos altos do evento gostaria de destacar?

Manuel J. Vieira – Todos vão ser bons com certeza, mas as atuações das bandas será sempre um momento alto. Desde há 10 anos a esta parte que, quer a banda de Alcanede quer a banda do Xartinho marcam a sua presença desde os tempos em que as tasquinhas eram realizadas no São João. Nas suas agendas está sempre presente esta data e ficamos muito satisfeitos por nos oferecerem estes concertos. Destaco também a tarde de Domingo com a atuação dos ranchos (Viegas e Cabeça Veada) e também a escola de danças de salão de Aldeia da Ribeira e restante animação. Todos juntos valorizam muito esta iniciativa.

Portal Alcanede – Aos que eventualmente ainda estejam indecisos em visitar a Expo Alcanede este ano, gostaria de deixar alguma mensagem em especial?

Manuel J. Vieira – Acho que não há que haver indecisos, uma visita a Alcanede é sempre boa e particularmente nesta data. Uma exposição, um conjunto de restaurantes e uma serie de atividades só fazem sentido com a presença de muitas pessoas. Os que cá vierem sairão de certeza daqui satisfeitos.

Portal Alcanede – Muito obrigado pelas suas declarações ao Portal e felicidades para a Expo Alcanede 2011…

Manuel J. Vieira – Nada, eu é que agradeço.

NOTA: No antigo site do Portal esta página foi lida 4512 vezes

Artigos Relacionados

Rui Jorge: “Em casa de ferreiro espeto de pau”

Portal Alcanede

Grupo Jovens pela Igreja Alcanede: “A nossa vontade é alertar a juventude para aquilo que podemos fazer na nossa freguesia”

Portal Alcanede

Manuel Joaquim Vieira: “Há muito que a freguesia não estava tão unida”

Portal Alcanede